Tragédia europeia

(Publicado no jornal Metro, 8/4/2010)

Afinal, o plano europeu de salvamento das finanças gregas não resultou. Não admira. Não era um grande plano. Os países com excedente de pagamentos, sobretudo a Alemanha, comprometiam-se a salvar a Grécia apenas em situação de comprovada bancarrota (ou seja, quando ela já tivesse sido declarada) e sempre em associação com o FMI, para dar a ideia de que não se tratava de um responsabilização europeia normal mas de um plano extraordinário.

Perante a falta de solidariedade, multiplicaram-se as reacções anti-germânicas. É um espectáculo triste, sobre o qual vale a pena dizer uma ou duas coisas. Muita gente anda há muito tempo a dizer que a Europa não é um Estado mas uma associação de Estados que a usam apenas enquanto a vêem como benéfica para os seus “interesses nacionais” (o que quer que isto signifique exactamente). A Alemanha não acha que tenha de se responsabilizar por aquilo que considera serem os erros dos outros. Depois, quem “exige” à Alemanha que salve a Grécia e, por essa via, o euro, não parece querer considerar o salto quântico envolvido. No actual contexto da Zona Euro, a Alemanha não poderia salvar a Grécia de forma duradoura sem impor condições que limitassem de alguma maneira a soberania nacional grega, fosse directamente, fosse através de autoridades europeias. No essencial, qualquer solução duradoura teria de resultar num verdadeiro orçamento europeu ou numa verdadeira dívida pública europeia. Mas um e outra seriam um enorme passo no sentido da total união política. “No taxation without representation” (não há impostos sem representação) foi o grito dos independentistas americanos do século XVIII. Quaisquer finanças públicas europeias teriam de se basear num princípio de representação, que, no século XXI, só pode ser democrático. Uma democracia europeia, baseada numa comunidade política europeia, não existe e não se faz do pé para a mão. Atalhar caminho sem passar por aí, arriscar-se-ia a ser uma verdadeira tragédia, não grega, mas europeia.

Deixe uma Resposta

Please log in using one of these methods to post your comment:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: