Can he?

Não foi preciso passar muito tempo dos “cem dias” para se perceber uma coisa simples: ou a presidência Obama continua a mesma política externa psicanalítica (“o que é preciso é falar com eles”, “eles precisam é de um ombro onde se encostar”, “deixem-nos manifestar a sua agressividade”) e deixou de ter qualquer capacidade especial para determinar o estado da segurança no mundo, ou então adopta a postura do Bush do primeiro mandato, talvez ainda mais do que o Bush do primeiro mandato, para restabelecer a credibilidade.

Ouvi ultimamente muitos louvores à nova postura americana, que lhe dava grande margem de manobra. Mas a verdade é que fez exactamente o contrário. A administração não tem neste momento qualquer capacidade de reacção: muito simplesmente, ninguém acredita que Obama faça o que quer que seja contra o Irão ou a Coreia do Norte. Já no tempo de Bush não era assim: ninguém tinha a certeza se ele não ousaria realmente bombardear o Irão. Mesmo que depois não o fizesse, criava a dúvida: afinal não o fez no Iraque? Obama não tem este instrumento. E ou desiste dele ou o recupera rapidamente. Verdade se diga que já o fez no que toca à política de detenção dos prisioneiros de guerra. Mas a falta de clareza com que o fez mostra a hesitação. Mesmo assim, ninguém se surpreenda se vir por aí aparecer um dia um Obama todo belicista.

Deixe uma Resposta

Please log in using one of these methods to post your comment:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: