Archive for Dezembro, 2007

Bom ano

Dezembro 31, 2007

O Senhor sentiu o agradável odor e disse no Seu coração: “De futuro não amaldiçoarei mais a terra por causa do homem, dado que as tendências do coração humano são más, desde a juventude, e não voltarei a castigar os seres vivos, como fiz”.

Génesis, 8:21

Anúncios

Nada de novo

Dezembro 27, 2007

Vai por aí uma grande comoção acerca da presumível “nacionalização” do BCP. No entanto, a facilidade com que a lista Santos Ferreira-Vara foi aceite por uma enorme percentagem dos accionistas mostra como o BCP nunca foi bem um banco privado. E, ou me engano muito ou vai continuar a ser gerido como até aqui: há quem diga que bem. De resto como a Caixa Geral de Depósitos, sobre a qual também não se ouvem grandes queixas de gestão.

A recente crise bancária internacional mostra, aliás, como os bancos são sempre entidades semi-públicas. O Banco de Inglaterra já praticamente nacionalizou um banco privado (o Northern Rock), mal ele entrou em crise, e os bancos privados por esse mundo fora são quotidianamente subsidiados pelos bancos centrais quando estes baixam as taxas de juro ou injectam liquidez para os salvar, como tem acontecido nos últimos meses. Bem podemos achar isto mal, mas cabe sempre perguntar qual seria a consequência caso não o fizessem?

Caracas-sur-Seine

Dezembro 27, 2007

O que a gente gosta de uma telenovela, sobretudo se envolver um gajo pequenino e duas gajas altas e muito giras (bem, vendo bem, a Carla não é assim tão alta, e está um verdadeiro palito).

Saudações da estação

Dezembro 23, 2007

Juntar as mãozinhas

Dezembro 21, 2007

(Publicado no jornal Meia Hora, 20/12/2007)

O ano não acaba bem, pelo menos na frente económica. Ainda esta semana os bancos centrais das principais economias desenvolvidas, numa atitude sem precedentes, injectaram uma extraordinária quantidade de dinheiro no sistema financeiro mundial, na esperança de verem a confiança regressar aos mercados de capitais. Não funcionou grande coisa. Ninguém sabe ainda muito bem qual a exposição das grandes instituições financeiras à crise do financiamento imobiliário. O problema é financeiro na origem, mas toda a gente está à espera do impacto na economia dita “real”.

O mecanismo de contágio é a escassez de crédito para consumo e investimento. Receosos da capacidade dos seus parceiros para satifazerem dívidas (por dependerem de instrumentos financeiros baseados, em última instância, em dívidas eventualmente incobráveis de famílias falidas), os bancos só emprestam uns aos outros mediante taxas de juro mais altas. Estas taxas são então passadas para os investidores e consumidores, que naturalmente abrandam actividade. As previsões vêm aparecendo cada vez piores, sobretudo em economias onde a animação económica esteve muito dependente do imobiliário, como os EUA, a Inglaterra ou a Espanha.

Normalmente, a maneira de evitar uma paragem demasiado abrupta da economia é descer as taxas de juro. Os bancos centrais vêm-no fazendo (menos o europeu, embora se tenha oferecido esta semana para emprestar aos bancos a juros baixos), mas não demasiado, até por não poderem, já que por outro lado a inflação espreita. A inflação parece ter origem na subida do preço do petróleo e dos bens alimentares (cuja colheita este ano parece ter sido bastante má). A economia mundial está, portanto, num dilema clássico para o qual não há uma boa solução. É necessário escolher entre duas más.

Portugal terá dificuldade em escapar, por várias vias: o abrandamento internacional limita as exportações (no nosso maior mercado, a Espanha, há já um colapso do imobiliário) e os juros tolhem o consumo e o investimento. Como, finalmente, o governo tributa por tudo o que é lado, o panorama não se apresenta animador. Para o ano resta, portanto, juntar as mãozinhas e rezar.

Hail King David

Dezembro 19, 2007

Diz-se que estão em decadência, mas há mais uma monarquia na Europa: on your bike, Lillibet!!

Quelq’un m’a dit

Dezembro 17, 2007

Uma certa ideia da França.

By the way

Dezembro 16, 2007

Também não parece, mas foi feito pelo Martin Scorsese

Dezembro 16, 2007

Não parece, mas foi feito pelo Martin Scorsese

Dezembro 16, 2007

The Key to Reserva